Doe
login

Informa PHI

Artigos e entrevistas

Transformando a CDD com educação ambiental: o projeto Eco Rede, da Alfazendo

Boletim Phi – Especial Meio Ambiente

Em fevereiro de 1996, fortes chuvas atingiram o Rio de Janeiro, causando uma das piores enchentes da Cidade de Deus. Com o transbordamento do Rio Grande, muitas pessoas perderam tudo que tinham e muitos perderam a vida. Lidiane Santos tinha 5 anos na época, havia acabado de chegar da Bahia com a mãe para morar no bairro, e assistiu tudo.

Tão nova, começou a conhecer os efeitos do descarte irregular de lixo e da eliminação da vegetação nativa, principalmente nas margens dos rios. Hoje com 32 anos, Lidiane é bióloga formada pela UFRJ, coordenadora do Eco Rede – um projeto da ONG Alfazendo que atua com educação socioambiental e desenvolvimento sustentável da Cidade de Deus – e faz mestrado. O tema da dissertação é “Performances das águas: conservação geopoética da Cidade de Deus”.

Atualmente apoiado pelo Instituto Phi, o projeto Eco Rede tem investido recursos e esforços nos últimos 12 anos para enfrentar problemas graves da Cidade de Deus: a coleta deficiente do lixo domiciliar e os impactos ambientais causados pelo tratamento inadequado dos resíduos sólidos.

Lidiane, que começou a trabalhar na Alfazendo como estagiária, há seis anos, conta que o primeiro incômodo do Eco Rede é o racismo ambiental, isto é, como a populações

marginalizadas e historicamente invisibilizadas são as mais afetadas pela poluição e degradação ambiental.

“Nossa meta principal sempre foi acabar com os lixões e trazer uma perspectiva de coleta seletiva solidária para a CDD. Para isso, o primeiro passo é que os moradores entendam que são parte fundamental da transformação”, destaca.

Para sensibilizar a população a não jogar lixo no rio e suas margens e fazer o descarte correto dos resíduos, as oficinas de educação socioambiental do Eco Rede resgatam a importância do Rio Grande e seus afluentes para a CDD.

“Contamos que os primeiros moradores que chegaram ao território pescavam nesse rio, se banhavam e cultivavam plantas comestíveis às suas margens. Também ressaltamos a importância do catador dentro do ciclo produtivo”, explica Lidiane.

Com o trabalho de educação socioambiental, o projeto já beneficiou diretamente mais de 45 mil pessoas, conta a educadora e cofundadora da Alfazendo, Iara Oliveira:

“Temos parcerias com as 26 escolas do bairro, propondo formação de professores e oficinas de educação socioambiental para os alunos. O EcoRede já faz parte do projeto pedagógico da rede escolar da CDD, promovendo desde contações de histórias e teatro para as crianças da creche até jogos colaborativos e rodas de conversas para o Ensino Fundamental e Médio. Em algumas dessas escolas, implementamos hortas pedagógicas, num trabalho integrado com as famílias”.

Além de seu programa em escolas locais, o projeto Eco Rede também oferece treinamento para catadores de materiais recicláveis. Uma das principais iniciativas que a EcoRede apoiou foi a construção de ecopontos na Cidade de Deus para que os moradores descartem o lixo reciclável de forma que facilite o trabalho dos catadores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MAIS DO INFORMA PHI

Artigos e entrevistas

Ressignificando o amor: ‘Decidimos priorizar a doação’, diz casal de doadores

Histórias do mês

Um saque que fica para a história

Histórias do mês

De menino ‘difícil’ a atleta paralímpico do tênis de mesa

Boletim Phi

Quem financia os custos operacionais de uma ONG?

Histórias do mês

Permanência na universidade garantida pela retribuição de ex-alunos

Nossa Rede

Imprensa e Terceiro Setor – Guia Prático Para Jornalistas
Criado e desenvolvido pela Refinaria Design. Atualizado pela Sense Design.