Doe
login

Informa PHI

Histórias do mês

Dia do Voluntariado: saia do sofá, como Tuninho

Você acredita que é capaz de mudar o mundo? Antônio Januário Neto, o Tuninho, tem certeza de que sim. Não sozinho, claro, mas na companhia de mais de 7 milhões de brasileiros que, como ele, cedem seu tempo para trabalhos voluntários. É por isso que ele atua em mais de 30 projetos sociais e se auto intitula um “ultra-mega-super-hiper-extra-giga-blaster-multi-big-companheiro-voluntário”. Neste Dia Nacional do Voluntariado, vamos contar um pouco da história deste niteroiense de 29 anos que tem uma característica bem peculiar – o autismo – e que transmite uma lição de atitude e de confiança na força da coletividade para transformar duras realidades.

Tuninho organiza alimentos, roupas, livros e brinquedos em campanhas de arrecadação de diversas ONGs, faz palhaçaria com uma trupe em hospitais pediátricos, orfanatos e instituições de assistência a pessoas com deficiência, recolhe flores de festas de casamento para criar pequenos buquês que são ofertados a idosos de casas de repouso, faz coleta de lixo em praias, panfleta em campanhas de conscientização sobre drogas. Ele é de todas as causas. É preciso com datas: seu primeiro trabalho voluntário foi no dia 27 de novembro de 2010, aos 20 anos de idade.

“Vim pra o Planeta Terra pra ajudar a melhorá-lo. Costumo ser o faz-tudo e me sinto totalmente feliz, útil, honrado e realizado nessa tarefa. Quero ter novas e futuras zilhões de ultra-mega-super-extra-multi-mini-big-oportunidades de voluntariados”, diz ele.

Tuninho (de nariz de palhaço), com os Voluntários Engajados, levando alegria e brincadeiras para crianças internadas no Hospital Jesus, em Vila Isabel

Tuninho, que mora com a mãe em Niterói, foi diagnosticado em novembro de 1993, aos 3 anos e 8 meses de idade. Só começou a falar aos 4. Aos 7, numa instituição de tratamento multidisciplinar, ele escreveu um poema que dizia que “a gente vem ao mundo para ajudar nossos semelhantes” e desde então surgiu a vontade de fazer voluntariado. Ele tem dificuldades de socialização e tem total consciência disso, mas não é um empecilho, garante Cássia Souza, coordenadora de Projetos do Atados. A plataforma online, parceira do Instituto Phi, conecta pessoas que querem ser voluntárias, como Tuninho, a instituições que precisam de apoio em suas atividades em todo o Brasil.

“Quando publicamos uma nova vaga ou uma nova organização no eixo Rio-Niterói, imediatamente o Tuninho entra em contato e marca uma visita. Ele é um exemplo de comprometimento e de sensibilidade para causas que perpassam sua vida, ou não – todas as causas de alguma forma despertam nele o desejo de estar envolvido. É muito simbólico ele ter tamanha vontade e dedicação com esse trabalho. Ele precisa do direcionamento inicial, mas depois pega a função e executa com um sorriso no rosto! Nós explicamos às organizações a importância do Tuninho para o Atados e as funções que sabemos que ele gosta de fazer e que tem facilidade, e depois disso é um sucesso”.

Com as voluntárias do projeto Flor Generosa, Tuninho recolhe flores ao fim de festas de casamento para criar buquês e oferecer a idosos em casas de repouso

Apesar dos desafios de mobilizar pessoas para trabalhar sem remuneração em prol de outras pessoas, o brasileiro tem se interessado mais pela prática do voluntariado. Em sete anos de existência, o portal hoje conta com uma rede de 1.853 organizações e 117.925 voluntários cadastrados. E segundo o IBGE, em 2018, 7,2 milhões de brasileiros de 14 anos ou mais cederam parte de seu tempo para o voluntariado. Há vagas para todo perfil de gente:

“Em algumas vagas, é preciso ter habilidades especificas, mas em outras, o voluntariado pode ser um exercício de desenvolvimento de técnica também. A partir da candidatura em nossas vagas, as ONGs entrarão em contato para agendar uma conversa para entender de que forma as habilidades do voluntário e desafios da ONG podem dar um match”, explica Cássia.

Rosa Diaz, também coordenadora de Projetos do Atados, ressalta que em tempos de crise, é comum que cresça o número de pessoas interessadas em participação social. E que, para além dos projetos, o voluntariado proporciona o encontro com pessoas que resistem e criam, que acreditam e colaboram para um mundo melhor.

“A entrada para uma rede de pessoas tão plurais e ativas abre caminhos e ilumina possibilidades de mudanças coletivas. Sem demagogia nenhuma, o voluntariado pode ser o exercício de despertar sonhos, acordar memórias, transformar realidade, instigar os indivíduos a se tornarem cidadãos ativos e de reverberar o amor para o mundo”.

Então, siga o slogan da campanha do Atados para o Dia Nacional do Voluntariado – #EuSaioDoSofá – e faça como Tuninho: saia do sofá!

Atuação de Tuninho como voluntário do projeto Juntos Somos Fortes na Creche São Cosme e São Damião, que atende crianças do morro do Andaraí, Morro do Cruz e arredores

10 comentários sobre “Dia do Voluntariado: saia do sofá, como Tuninho

  1. Uma história inspiradora. Ah, se cada um de nós tivéssemos só um pouquinho de Tuninho… o mundo seria bem melhor. Vamos sair todos do sofá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MAIS DO INFORMA PHI

Editais

Acelera – Inovação Social

Oportunidades

Congresso Internacional de Captação de Recursos

Oportunidades

Seminário sobre Blended Finance

Oportunidades

Lab Habitação e Moradia

Artigos e entrevistas

Pontes sobre o abismo de desigualdades

Oportunidades

Chamada pública de boas práticas na primeira infância
Português do Brasil
English (UK) Português do Brasil
Criado e desenvolvido pela Refinaria Design